CURSO DE PEDAGOGIA VISITA MISSÕES JESUÍTAS NO RIO GRANDE DO SUL

            Os professores Ivanildo Sachinski e Vanessa Campos de Lara Jakimiu do Colegiado de Pedagogia realizaram atividade turístico-cultural nos dias 7, 8 e 9 de setembro, visitando as cidades de São Miguel das Missões e Santo Ângelo no Rio Grande do Sul. Foi um momento de verificar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, aliando a base cientifica e às evidências históricas ao turismo.
            A viagem iniciou no dia 8 com a visita ao Santuário do Caaró,  cenário do Martírio dos Padres Jesuítas Roque Gonzáles e Afonso Rodrigues, os primeiros Padres que trabalharam na catequese dos índios da região e que são muito conhecidos em países como Argentina e Paraguai.
            A tarde na cidade de São Miguel das Missões foi realizada a visita as antigas ruínas da Redução de São Miguel, um dos mais importantes monumentos históricos brasileiros, tombadas pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, heranças deixadas pelas missões jesuítas. Com uma monumental fachada de 30 metros de altura, a Catedral de São Miguel Arcanjo - ou o que restou dela - impressiona com suas arcadas de inspiração romana e colunas coríntias. A construção da igreja teve início em 1735 e contou com mais de cem operários guaranis. Da planta original, há vestígios do colégio, da casa dos padres e do cemitério.
            No sitio arqueológico funciona o Museu das Missões, projetado por Lúcio Costa, imita uma habitação indígena, e guarda o maior acervo brasileiro de esculturas de santos feitas pelos índios ou trazidas da Europa. O momento mais emocionante da viagem com certeza foi o Espetáculo de som e luz. O espetáculo mais antigo do Brasil que acontece desde 1978, as ruínas viram palco de uma emocionante apresentação. Trata-se de uma narrativa da história das Missões Jesuitico - Guarani contada através de efeitos de som e luzes. Narra em 48 minutos o nascimento, desenvolvimento e o fim da civilização criada no Rio Grande do Sul por padres jesuítas e índios guarani.
            Em todas as reduções missioneiras ergue-se a cruz missioneira. A maior e original, está na praça fronteira do templo de São Miguel. Embora os estudos indiquem a origem da Cruz Missioneira como a Cruz de Caravaca, ela já incorporou ao imaginário do povo rio-grandense como o símbolo máximo da espiritualidade da região das Missões. O seu significado segue sendo o de proteção e é ofertada, em forma de relíquia peitoral, ou pedestal, àquelas pessoas que se querem bem. Os dois braços, que representam a distinção arquiepiscopal ou patriarcal, para diferir da cruz de apenas um braço, são interpretados pela compreensão popular como uma representação da fé redobrada.
            Além disso, foram realizadas visitas a fonte missioneira de captação de água. No domingo dia 9 visitado o centro histórico da cidade de Santo Ângelo, o Museu Municipal, a Catedral Angelopolitana, o Memorial a Coluna Prestes. Num final de semana agradável, com muita formação, o Curso de Pedagogia pôde proporcionar às suas alunas e alunos um momento de constatação na prática com um importante momento da História da Educação Brasileira, com as Missões Jesuítas.
 
 

Assessoria de Comunicação
Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100