Decodificação da nação em imagens

Essa foi a proposta da palestra do professor Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos. A atividade fez parte do ciclo de conferências do colegiado de Letras da Fafiuv

 

            A obra do pintor, romancista e poeta brasileiro, Pedro Américo, intitulada Independência ou Morte foi apreciada na noite da segunda-feira, 8, pelos professores e acadêmicos do Colegiado de Letras da Faculdade Estadual de filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv). A pintura de Américo foi a primeira de outras grandes obras analisadas pelo prof. Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos, durante a palestra Nação e Imagem. Mais do que isso, as obras ganharam interpretações. Trouxeram à tona a vida de uma nação retratada em imagens.
            A atividade fez parte do ciclo de conferências do colegiado de Letras da Instituição, que este ano está ligado ao projeto Cineclube. Para este mês, o palestrante foi convidado a dar continuidade aos assuntos relacionados à literatura.
            Possuidor de um currículo carregado de títulos, o professor Antonio esbanja dedicação profissional. Ele é mestre e doutor em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professor titular de pós-graduação de Ciências da Linguagem na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Também é tradutor de línguas estrangeiras (grego e alemão). É claro que o currículo não pára por aqui. São várias atividades voltadas para a área educacional.

Nação e Imagem

            Além da obra de Américo, o professor Antonio fez uma releitura e analisou, juntamente com os presentes, as obras de Nicolas-Antoine Taunay, Juan Gutierrez, Johann Moritz Rugendas, Hercules Florence, Revert Henrique Klumb, Christiano Junior, Belmiro de Almeida, Rodolpho Amoedo, entre outros artistas que ganharam destaque durante a fala. “A idéia da palestra foi dar ênfase para a pintura, no que concerne à construção da imagem com a construção de mitos sustentacionais de uma nação”.
            As obras analisadas fizeram o percurso dos séculos XIX e XX. Foram obras que segundo o professor, promoveram uma certa discussão na época. Ele explica que as obras de arte são como uma fábrica de imagens que envolvem a literatura e as histórias de seu povo. “São imagens aparentemente superficiais, mas que carregam e / ou representam uma situação, uma história. É uma conexão entre a literatura e imagem na pintura realista”, afirma.

Contexto histórico

            De acordo com o professor, uma obra de arte, qualquer que seja a sua forma, é um testemunho do sentido do belo e do seu criador. Mais do que isso. É a expressão de um dado contexto histórico.  O valor da arte foi ressaltado pela citação que o palestrante utilizou de João Cabral de Melo Neto: “A arte é muito mais transpiração do que inspiração”.  
 

Fotos:


Prof. Dr. Antonio Carlos Gonçalves dos Santos

 

 

Professores e acadêmicos do Colegiado de Letras

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação
Coordenadora: Patrícia dos Santos de Souza

Acadêmica: Wannessa Stenzel 

 



Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100