Aos mestres com carinho

No dia do professor, escolhemos contar a história da professora Liliam Bresciani Heinen para homenagear os profissionais que se dedicam à arte de ensinar

            Ela é calma, meiga e com um olhar inspirador.. Sua postura reflete uma mulher disciplinada que busca sempre o melhor naquilo que faz. Ela é mãe, esposa, mas no dia de hoje; ela é especialmente professora. Hoje, 15, é comemorado o Dia do Professor. Escolhemos a professora Ms. Liliam Maria Bresciani Heinen para homenagear todos os educadores.

            A data remete a um decreto imperial, de 15 de outubro de 1827, que trata da primeira Lei Geral referente ao Ensino Elementar.. Este decreto, outorgado por Dom Pedro I, veio a se tornar um marco na educação imperial de tal modo que passou a ser a principal referência para os docentes do primário e ginásio nas províncias.

            A Lei tratou dos mais diversos assuntos como descentralização do ensino, remuneração dos professores e mestres, ensino mútuo, currículo mínimo, admissão de professores e escolas para meninas.

            A primeira contribuição desta Lei foi a de determinar, no seu artigo 1º, que as Escolas de Primeiras Letras (hoje, ensino fundamental) deveriam ensinar para os meninos, a leitura, a escrita, as quatro operações de cálculo e as noções mais gerais de geometria prática. Às meninas, sem qualquer embasamento pedagógico, estavam excluídas as noções de geometria. Aprenderiam, sim, as prendas (costurar, bordar, cozinhar, etc.) para a economia doméstica.

Como uma brincadeira de criança

            Toda criança faz uma pergunta: O que eu vou ser quando crescer? Para a professora Liliam, a resposta estava inserida nas brincadeiras de menina. Brincar de aula, se vestir de professora e ensinar. Como era a filha mais velha de quatro irmãos, ela os ensinava em casa. Tudo em um faz de conta que se tornou realidade, ou melhor, uma profissão atuada com paixão.

Tudo começou assim...

            Nascida em Garibaldi, no Rio Grande do Sul, a família, por conta da profissão do pai, mudou-se para o município catarinense de Caçador. Foi lá, no Colégio Nossa Senhora Aparecida das Irmãs São José, que a docente obteve a formação até a escola normal. Aos 17 anos, antes mesmo de se formar, já atuava no magistério. “Foi uma época em que houve uma grande expansão das escolas juntamente com a democratização de ensino. Havia uma carência de professores e como já era normalista; recebi vários convites para atuar nas escolas. E eu já entrei nessa”. Depois de formada, Liliam trabalhou durante 11 anos nos municípios de Fraiburgo e Distrito de Macieira, próximo a Caçador.

            A vontade de aprimorar os estudos, trouxe Liliam a União da Vitória. Na Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv), graduou-se em Letras Português/Inglês.

Em nome do amor

            Após 11 anos de dedicação ao Magistério, ela veio lecionar em Porto União quando se casou com Darcísio Heinen. Em nome do amor, ela passou a se dedicar ao ensino fundamental e médio. No total, foram 25 anos dedicados ao Magistério em Santa Catarina.

Do outro lado dos trilhos

            Como em Santa Catarina ela já havia se aposentado, resolveu atravessar os trilhos e lecionar no Paraná; tendo contribuído para a formação de profissionais na Fafiuv por 13 anos. Em seu currículo, está incluída a especialização em Caçador e o mestrado concluído em 2003 em Lingüística Aplicada no Ensino da Língua Materna pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Há uma semana, a mestra assumiu a coordenação do setor de pós-graduação da instituição. ”Ser professora é parte da minha vida. Não me vejo fora do magistério. Metade da minha vida é o meu trabalho”.

O perfil do educador

            Para a meiga Liliam, ser professor é uma vocação e exige vontade e dedicação. “Os alunos, hoje, são muito rebeldes; mais agitados. No ensino fundamental é um tanto complicado para atuar. Nossos alunos, durante os estágios, vivenciam essa realidade. Mas quem quer ser professor tem que ter muita garra, disciplina e dedicação”.

Ser professor é...

            A resposta é dada pela professora com rapidez. “Educador é aquele que conduz ao conhecimento. Não é aquele que transmite, é aquele que conduz. O professor não é o detentor do saber, é um ser que faz a intermediação do conhecimento”.

Quem é ela

            Professora dedicada, já sabemos que ela é. Mas, além deste talento, Liliam é mãe de dois filhos, um menino e uma menina. E como toda mãe, orgulhosa ao falar dos filhos, seu olhar fica iluminado e as palavras se enriquecem de elogios. E não podemos esquecer do marido, Darcísio que aceita e apoia a esposa em sua profissão. Parar de dar aulas? Nem pensar. Os planos são dar continuidade aos trabalhos e fazer o melhor no cargo que assumiu há pouco tempo.

A delicadeza feminina

            A serenidade da educadora transmite receptividade.. No dia da entrevista, os cabelos castanhos estavam bem penteados. Nos lábios, batom em cor discreta. Vestia uma blusa de mangas curtas marrom e um sapato baixo prateado. Além de uma postura elegante que só uma professora tem.

Para marcar

            Pedimos para que a professora resumisse em uma frase, os anos dedicados à educação e à formação de educadores. Citando o poeta Fernando Pessoa, ela finaliza: “Tudo vale a pena se a alma não é pequena”.

 

Professora Ms, Liliam Bresciani Heinen

 

 

Coordenadora: Patrícia dos Santos de Souza

Texto: Wannessa Stenzel e Ana Cabral

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100