Porta-a-porta dos acadêmicos em ação


Projeto da Fafiuv orienta sobre a Coleta Seletiva Domiciliar. No total serão visitadas 25 mil unidades residenciais

           
            Para eles não existe tempo ruim. Não importa se é final de semana ou até mesmo feriado. O que realmente interessa é bater de porta em porta com um propósito em comum: orientar sobre a coleta seletiva entre os moradores de União da Vitória.
            O projeto Coleta Seletiva Domiciliar é organizado pelo Colegiado de Geografia da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv) e conta com a participação dos acadêmicos de Geografia, Biologia e Letras, além da parceria firmada com os acadêmicos de Engenharia Ambiental e Civil do Centro Universitário da Cidade de União da Vitória (Uniuv), Empresa Ecovale Tratamento de Resíduos Urbanos e apoio da prefeitura de União da Vitória.
            O professor de Geografia da Fafiuv e coordenador do projeto, Ms. Gilberto Gonçalves, lembra que a atividade iniciou em abril do ano passado. De lá para cá é trabalhado o aspecto ambiental e social nos lares do município. “A coleta seletiva é o melhor processo para a reciclagem de resíduos domiciliares. Seus resultados dependem da participação consciente da comunidade. Para isso precisamos da fonte geradora (que somos nós), do recolhimento e do destino final”.
            De acordo com o professor, o lixo domiciliar é apontado como um dos maiores problemas ambientais e sociais da humanidade. “Infelizmente União da Vitória não está fora desta problemática. Por isso a prefeitura entrou em contato com a Fafiuv para firmar uma parceria com a finalidade de dar um destino final mais adequado para o lixo familiar”.

Passo a passo
            O primeiro passo para a elaboração do projeto consistiu na elaboração do material educativo (cartilha) para serem distribuídos para a comunidade. O segundo passo foi a escolha do mascote do projeto. A escolha aconteceu nas escolas municipais. O desenho escolhido foi intitulado Robolix, sendo considerado o líder do comando separação. O Robolix é uma mistura de materiais recicláveis e criatividade. O terceiro passo foi a formação da equipe de visitação nas residências do município.

Visitação
            Jaleco de manga curta amarelo e uma bolsa em tom de alaranjado para amparar os materiais educativos e anotações fazem parte das vestes dos super heróis em ação. É desta forma que o professor Gilberto determina o empenho e dedicação dos acadêmicos para com o projeto que acontece todos os sábados das 8h 30 até às 18h. Com os percursos definidos e divididos em trios, os acadêmicos fazem a visitação nos lares de União da Vitória.
              Desde março deste ano foram visitados os bairros Navegantes, Ponte Nova e São Bernardo. No mês de abril a vista acontece na área central. Após esta etapa é a vez dos bairros São Basílio Magno, Rocio, Rio d’ Areia, Limeira, Bela Vista e Loteamento Furlan. Serão visitadas no total cerca de 25 mil unidades residenciais.

Dona de casa
            A dona de casa é apontada pelo projeto como a peça-chave para mediar a conscientização dentro do seu próprio lar. “Por isso os agentes ecológicos (acadêmicos) conversam em especial com elas. Pois são as donas de casa que efetivamente tem o primeiro contato com o resíduo sólido dentro de casa; além de fazer a primeira seleção”. Os agentes ecológicos orientam para a separação do lixo úmido e o seco em duas sacolas distintas para que após o recolhimento da Ecovale sigam o seu correto destino. Neste caso o lixo úmido vai para o aterro sanitário. Já o lixo seco segue para a Associação dos Catadores de Papel do município. Lá eles fazem a seleção do material dentro de suas variáveis e posteriormente comercializam diretamente com a indústria obtendo o seu ganho e contribuindo com o meio ambiente. O trabalhado na associação é orientado pela professora de Geografia, Mda Fernanda Perdun, através da instrumentação para o artesanato partindo do lixo seco. O projeto também conta com o apoio do Sérgio Parasthuk que coordena uma ONG que apóia o projeto.

Somatória de esforços
            Nilmar Fernando Jevouski é acadêmico do 2º ano de Geografia. Para ele o sucesso do projeto é atribuído a somatória de esforços dos professores, agentes ecológicos e comunidade. “Com o projeto nós (acadêmicos) temos a possibilidade de colocar em prática a teoria da sala de aula e contribuir com o meio em que vivemos”.
            A opinião é compartilhada também pela acadêmica do 2º ano de Geografia, Patrícia Muller 2º ano. Moradora do município vizinho de Cruz Machado, Patrícia veio especialmente para participar do projeto no sábado, 4. “Todos podem fazer a diferença. Eu estou fazendo a minha parte em prol do meio ambiente”.

 

Box
Lixo úmido
É todo o lixo que não pode ser reaproveitado. É o lixo sujo. Exemplo: Restos de comida, cascas de alimentos, papel higiênico, entre outros.


Lixo seco
É todo o lixo que pode ser transformado em produto novo. Exemplo: vidro, papel, metal e plástico, entre outros.

 

Fotos

Agentes ecológicos em ação

 

Professor de Geografia da Fafiuv e coordenador do projeto, Ms. Gilberto Gonçalves

 

Assessoria de Comunicação
Coordenadora: Ana Paula Such
Acadêmica: Wannessa Stenzel  

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100