Fafiuv promove debate sobre cotas para negros nas universidades

O assunto foi debatido pelos professores do Colegiado de Letras e História da Instituição; além de contarem com a interação dos acadêmicos

 

 

           O assunto é bastante polêmico. De um lado estão as pessoas favoráveis. De outro, as contrárias. E, ainda existe uma parcela de pessoas que não formou a sua opinião sobre o tema. Estamos falando das cotas para negros nas universidades.  Este foi o enfoque da mesa-redonda que aconteceu na noite do dia 19 de outubro, no Salão Nobre da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv).  Promovido pelo Colegiado de Letras e História da Instituição, a idéia foi a de dar vozes do público acerca das cotas, pois muitas pessoas ainda se assustam ao ouvirem a idéia de criação de cotas para negros nas universidades públicas brasileiras. Esta discussão fez parte do ciclo de conferências do Colegiado de Letras, que esse ano está vinculado ao projeto Cineclube.

 

Mesa-redonda

            O debate contou com os conhecimentos dos professores do Colegiado de Letras, professor Ms. Éderson José de Lima (Fafiuv) e Dndo. Caio Ricardo Bona Moreira e dos professores do Colegiado de História, Ms. Jefferson William Gohl e Dndo. Ilton César Martins; além de contarem com a interação dos acadêmicos.

 

Política sobre cotas dos negros

            O primeiro a falar foi o coordenador do Curso de Letras Português / Espanhol, professor Ms. Éderson José de Lima. O educador apresentou um recorte do seu trabalho de pesquisa sobre o assunto com o tema As ações Afirmativas e a Política de Cotas na Mídia: entre o Mérito e o Preconceito. Sua pesquisa conta com a análise da mídia no Paraná. O professor utilizou as reportagens sobre cotas veiculadas no jornal Gazeta do Povo.

            O objetivo do professor foi o de explicitar em forma de ‘’gestos” de leitura a temática das cotas para negros, a qual a temática promoveu a reflexão entorno da problemática das cotas nas IES públicas e a questão mídia e poder.

            O segundo a entrar no debate foi o coordenador do Colegiado de História, professor Ms. Jefferson William Gohl. Em sua fala, o professor que é favorável as cotas para negros nas universidades, citou a obra de Florestan Fernandes intitulada O Negro no Mundo dos Brancos.

           Florestan estudou a situação do negro e do mulato na sociedade brasileira, vista a partir de São Paulo, levantando os caminhos assumidos pelo preconceito, os seus disfarces e o processo de segregação racial, sem agravar ou atenuar o problema. Sua visão é de que o equilíbrio racial na sociedade brasileira 'procede do modo pelo qual os dois pólos se articulam com um mínimo de fricção', padrão de equilíbrio que é a própria base da desigualdade racial.

           Segundo o professor Jéferson, a obra de Florestan se une com boa parte dos textos da década de 40/60 que tratam da posição do negro. “Sou a favor às cotas. Pois não é o problema do negro que nós temos que resolver, mas sim os problemas da sociedade como um todo”.

           Em seguida, o professor do Colegiado de Letras, Dndo. Caio Ricardo Bona Moreira, apresentou um ensaio da obra Atlântida, poesia e mestiçagem de Dario Vellozo, um dos mais dedicados autores Simbolistas do Brasil. Segundo o Dndo, o poeta faz uma espécie de epopéia dos trópicos diretamente relacionados à questão da mestiçagem. “Em Atlântida a mestiçagem é um aspecto positivo para a literatura”.

           Por fim, o professor do Colegiado de História, Dndo. Ilton César Martins, discutiu as cotas e afirmou ser favorável à elas. O professor justificou que “cresce a consciência da dívida social e moral que a Nação e o Estado brasileiro têm com os negros, descendentes dos escravos”.

           Segundo o professor, a República, ao ser implantada, não executou o projeto da monarquia em doar terras ao longo das estradas de ferro aos que foram libertos pela áurea, assinada pela princesa Isabel. Simplesmente omitiu-se, abandonando-os à própria desventura. Sem terra, sem escolaridade e sem nada, os negros foram obrigados a viver em favelas. “As cotas vieram para melhorar as condições do negro. Antes de julgarmos é preciso saber o que são as cotas e para que elas foram instituídas e não julgar por julgar”, confirma.

 

Ciclo de Palestras

            Antes da mesa-redonda sobre cotas para negros nas universidades, os professores e acadêmicos dos Colegiados e Letras e História, acompanharam a conferência intitulada Questões Teóricas e Práticas da Análise do Discurso que foi ministrada pela Dnda. Vera Lucia da Silva. Graduada em Letras Português /Francês pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) em 2002, Vera que também é Agente Prisional em Maringá (PR), apresentou os conceitos básicos da AD através de suas pesquisas feitas no decorrer do projeto de mestrado na UEM. Maiores informações podem ser obtidas no endereço eletrônico www.fafiuv.br

 

Projeto Cineclube

            O projeto Cineclube teve início no segundo semestre de 2007. Esse projeto envolve cinema e literatura na busca de algo além do que estes dois canais podem oferecer separadamente. O objetivo do Cineclube é ampliar o interesse e a internalização da leitura e da literatura pelos acadêmicos dos cursos de Letras Português/Inglês e Letras Português/Espanhol.

            O primeiro ano do Cineclube foi tão produtivo que o colegiado decidiu dar continuidade à experiência, vinculando este projeto à Jornada de Estudos Literários e Lingüísticos do Vale do Iguaçu (JELLVI) que era concentrada durante uma semana no ano e que neste ano foi estendida ao longo dos semestres, totalizando 40h.

 

 

Fotos

Coordenador do Curso de Letras Português/Espanhol da Fafiuv, professor Ms. Éderson José de Lima

Coordenador do Curso de História da Fafiuv, professor Jefferson William Gohl

Professor do Colegiado de Letras da Fafiuv, Dndo. Caio Ricardo Bona Moreira

Vice-coordenador do Curso de História da Fafiuv, professor Dndo. Ilton César Martins

Coordenador do Curso de História, Jefferson William Gohl, Professor do Colegiado de Letras, Dndo. Caio Ricardo Bona Moreira, Coordenador do Curso de Letras Português/Espanhol, Ms. Éderson José de Lima, Dnda. Vera Lucia da Silva e o Vice-coordenador do Curso de História da Fafiuv, Dndo. Ilton César Martins

 

 

 

Assessoria de Comunicação    

Coordenadora: Ana Paula Such  

Acadêmica: Wannessa Stenzel

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100