Sessão Saudade Francisco Filipak

O cerimonial em homenagem póstuma ao confrade Filipak foi marcado por lembranças e emoções no sábado, 20, no Salão Nobre da Fafiuv

 
 
            “Francisco Filipak:
            Um homem de muitos valores
          e muitas virtudes”
 

            Palavras como as que foram ditas acima não faltaram na noite de sábado, 20, para homenagear o confrade Francisco Filipak. O cerimonial em homenagem póstuma foi marcado por lembranças e emoções no Salão Nobre da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv). O evento denominado Sessão Saudade foi organizado pela Academia de Letras do Vale do Iguaçu (Alvi) em parceria com a Academia de Cultura Precursora da Expressão (Acupre) e Fafiuv.
            A abertura do cerimonial foi marcada pela composição da mesa de trabalhos, seguida pelas palavras da secretária Leda Barcelos que, pelo número das cadeiras, coordenou a auto-apresentação dos acadêmicos presentes.
            Em seguida a presidente da Alvi, professora Therezinha Leony Wolff, proferiu palavras que denotaram a importância do ato e que registraram a presença de familiares de Francisco Filipak, cujo longo percurso nesta Casa deixou marcas que são indeléveis, o que foi, evidentemente, objeto dos sucessivos pronunciamentos dos senhores acadêmicos.
            A vice-diretora da Fafiuv, professora e acadêmica da Alvi, Ms. Leni Trentim Gaspari, homenageou a memória do saudoso confrade Filipak. A mestra exaltou o currículo arraigado de conhecimentos profissionais do homenageado. “Filipak foi um escritor, poeta, pesquisador e educador. Ao refletir sobre a sabedoria e conhecimento que ele soube transmitir, seja como professor, ou escritor de inúmeras e grandiosas obras as quais constituem um rico legado cultural a professores, historiadores, poetas e a todos que amam o saber, percebi que era grande o desafio de construir um texto que contemple as inúmeras qualidades deste homem singular, com palavras adequadas, para fazer jus a tudo o que ele conquistou”. A professora Leni fez então, a leitura dos dados biográficos do homenageado.  
            Filipak nasceu em Araucária (PR), no dia 7 de agosto de 1924. Era filho de Maria e Antônio Filipak. Formou-se em Letras na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e realizou Mestrado em Teoria Literária pela mesma Instituição. Formou-se em Filosofia Pura pela Unisinos de São Leopoldo, Rio Grande do Sul. Especializou-se em Língua e Cultura pela UFPR, em convênio com a Universidade Jaquelônica de Cracóvia, na Polônia. Foi professor concursado no Magistério Público do Paraná; ministrou a disciplina de Teoria da Literatura na Fundação Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória, Paraná, na Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Irati, Paraná e na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Tuiuti, em Curitiba.
            Também, foi professor de Técnica de Comunicação na Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Administração “Professor De Plácido e Silva”, em Curitiba. Professor de Língua e Literatura Latinas nos cursos de Letras das Faculdades Tuiuti e Irati. Também, foi diretor da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória, Paraná.
            Como pesquisador, escreveu importantes obras, destacamos algumas de suas escrituras: Teoria da Metáfora (Dissertação de Mestrado); Fundamentos da Linguagem; Antologia do Vale do Iguaçu em co-autoria com Nelson Sicuro; Glossário do Vale do Iguaçu; Vocabulário Regional de Ibiraçu, ES; Centenário do Brasil da Família Filipak; Curitiba e suas Variantes Toponímicas; Dicionário Regional do Espírito Santo; Dicionário Sociolingüístico Paranaense; Literatura Polono-Brasileira (Monografia do Curso de Especialização em Língua e Cultura Polonesas). Lançou a obra Helianto Outonal, plena de lirismo poético. Calendário Cívico Religioso Nacional, Estadual e Municipal, PR; Publicações da COMOCI-PR, vol. 1, 2 e 3, em co-autoria com Sebastião Ferrarini, Maria da Luz Clotilde Cunha Filipak e Gotardo Ángelo Gerum; Curitiba e suas variantes toponímicas coré-curé-curiy: Ensaio Histórico-Linguïstico; Tropeirismo - Platino-Peruano & Platino-Brasileiro,  entre outras. 
            O Escritor ocupava na Academia Paranaense de Letras a Cadeira Nº 39, Patrono Aristides de Paula França. Fazia parte do Instituto Histórico e Geográfico o Paraná, Centro de Letras do Paraná, Academia de Letras José de Alencar, Círculo de Estudos Bandeirantes, União Brasileira dos Trovadores e do Clube dos Trovadores Capixabas, Espírito Santo, Centro Cultural Professor S. Michaelle de Ponta Grossa, Paraná. Como Acadêmico da Academia Paranaense de Letras colaborou nas fundações de Academias Literárias no Paraná.  Em Palmas, orientou a elaboração do Estatuto, a organização da documentação para a fundação da Academia Palmense de Letras, de Palmas, da qual é Membro Benemérito.  Manteve contato com vários membros fundadores da Academia Palmense de Letras, enviando poesias, mensagens, correspondência e livros.  Relançou em Palmas o seu livro Curitiba e suas variantes toponímicas coré-curé-curiy: Ensaio Histórico-Linguïstico, com o apoio do Curso de Letras e da Academia Palmense de Letras.
           Em Palmas, Filipak ministrou palestras no Curso de Letras do Centro Universitário Católico do Sudoeste do Paraná, hoje, Instituto Federal Paraná. Na ocasião, convidou os acadêmicos do Curso de Letras de Palmas, para colaborarem em sua pesquisa dialetológica. As pesquisas dos acadêmicos foram aproveitadas como fonte primária do primeiro dicionário paranaense, organizada pelo pesquisador. 

Figura mais proeminente
            O professor do Colegiado de Letras da Fafiuv, Ddo. Caio Ricardo Bona Moreira, afirmou sentir-se honrado em homenagear um homem, que foi uma das figuras mais proeminentes desta Instituição de Ensino Superior. O doutorando ressaltou ainda sobre a honra em ocupar, hoje, juntamente com o professor Esp. Josoel Kovalski, a cadeira que durante anos pertenceu ao professor Filipak: a de literatura. “O que de um lado significa uma grande alegria. De outro representa uma grande responsabilidade, aquela de estar a altura dos ensinamentos do sábio professor que consciente da impossibilidade de separar a arte da ciência, foi ao mesmo tempo professor e poeta. Tendo assim, autoridade para falar de Literatura não apenas com saber, mas também com sabor. Sabemos que professores vocacionados como o Filipak são insubstituíveis. Cabendo a nós, seus continuadores, tentar manter acessa aquela luminária por eles acendidas”.
            O diretor da Fafiuv, Bel. Valderlei Garcia Sanches, compartilha da mesma opinião. “Parabenizo a Alvi pela realização de uma homenagem para uma pessoa tão importante da nossa região. Sinto-me honrado por ocupar, hoje, o cargo de diretor que já foi ocupada pelo inesquecível professor Filipak”.
        A senhora Maria da Luz Clotilde da Cunha, esposa do homenageado, agradeceu as homenagens prestadas durante a noite. Visivelmente emocionada, deixou que a lágrimas transbordassem ao público todo o carinho para com as dedicatórias para Filipak.
            A Sessão Saudade contou com apresentações artísticas como declamação de poesias com participação das acadêmicas da Fafiuv, também integrantes do Projeto Memórias Poéticas do Vale do Iguaçu e musical apresentado por Bruna Stelmach.
           

- Seguem as sonoras do evento:
- Diretor da Fafiuv, Bel. Valderlei Garcia Sanches;
- Presidente da Alvi, professora Therezinha Leony Wolff;
- Vice-diretora da Fafiuv, professora e acadêmica da Alvi, Ms. Leni Trentim Gaspari;
- Senhora Maria da Luz Clotilde da Cunha, esposa do homenageado;
- Professor do Colegiado de Letras da Fafiuv, Ddo. Caio Ricardo Bona Moreira;

 

Fotos


Diretor da Fafiuv, Bel. Valderlei Garcia Sanches e sua esposa Daniele


Da esquerda para a direita: Acadêmico da Alvi e jornalista, Ivo Dolinski, presidente da Alvi, professora Therezinha Leony Wolff; vice-diretora da Fafiuv, professora e acadêmica da Alvi, Ms. Leni Trentim Gaspari; Diretor da Fafiuv, Bel. Valderlei Garcia Sanches e sua esposa Daniele


Acadêmicas do Curso de Letras da Fafiuv


Professores e acadêmicas do Curso de Letras da Fafiuv


Acadêmico da Alvi e jornalista, Ivo Dolinski


Composição da Mesa de Trabalhos


Familiares e amigos de Francisco Filiapk


Acadêmicos da Alvi


Acadêmicos da Acupre


 


Pronunciamento: Vice-diretora da Fafiuv, professora e acadêmica da Alvi, Ms. Leni Trentim Gaspari


Pronunciamento: Professor do Colegiado de Letras da Fafiuv, Ddo. Caio Ricardo Bona Moreira


Declamação de poesias: acadêmicas da Fafiuv, também integrantes do Projeto Memórias Poéticas do Vale do Iguaçu


Musical apresentado por Bruna Stelmach


Pronunciamento: Diretor da Fafiuv, Bel. Valderlei Garcia Sanches


Pronunciamento: Senhora Maria da Luz Clotilde da Cunha, esposa do homenageado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação  
Coordenadora: Ana Paula Such  
Acadêmica: Wannessa Stenzel   

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100