A “História Viva“ em Irineópolis

* Luis Carlos Colita
 
           
Consciência de preservação, a materialização da história, a memória que os objetos representam, foram alguns dos elementos que percebemos em nossa visita ao “Casarão Domit”, “único casarão em madeira no Brasil, que conserva os móveis originais da época de sua construção”. O casarão é um ”lugar de memória”, não se trata de um simples museu, é claro que um museu não tem nada de simples, afinal, cada objeto nos dá inúmeras informações sobre o que foi e o que representou em um determinado tempo para a sociedade.
           
O Sr. Roberto Domit, neto do proprietário inicial da propriedade, foi quem nos guiou pelo interior da casa, viveu a história que está ali representada, bem como seu pai e avós, desta forma, a sua aproximação que tem com a história que tal lugar e objetos representam nitidamente a relação que a memória tem com a história, pois um berço para ele, não é simplesmente um berço é onde ele mesmo, seu pai, e seu neto, foram embalados.  
           
O “Casarão Domit”, demonstra já em um primeiro olhar, através do luxo presente na construção e nos objetos de seu interior o poder aquisitivo de seu proprietário. Se tratando da época em que foi habitado, desde final da década de 1920, luz elétrica, lustres, taças e vidros das janelas em cristal, faqueiro de prata e ainda tudo isso em uma área interiorana, são nítidos elementos de luxo.          Os relatos do Sr. Roberto, reforçam essas informações, se tratava de uma fazenda com área de 2500 alqueires, sobre responsabilidade do Cel. Joaquim Domit, onde se exerciam atividades diversas, tinham cerca de quinhentos funcionários e possuía ainda uma escola particular, destinada aos filhos de seus funcionários.
           
Não é uma preocupação que vem de hoje, mas o tema patrimônio e sua preservação, está cada vez mais presente em diferentes setores da sociedade, incluindo as escolas. Visto que vários teóricos já concluíram que é necessário despertar na população a consciência de pertencimento com aquilo que o patrimônio representa, seja ele, material ou imaterial. É essa consciência que permitiu que houvesse hoje, no município de Irineópolis, no interior de Santa Catarina, um “museu vivo”, que conserva a memória de uma época distante, a família Domit desde seu patriarca, coronel, era o que se poderia dizer culta, e, essa cultura, permitiu este despertar de consciência histórica.
           
É importante que lembremos que essa consciência não vem somente por via da escola, ou dos livros, as tradições orais, as conversas, os causos, são essenciais ferramentas para estabelecer uma educação patrimonial capaz de perdurar e ampliar os ideais de preservação nas comunidades.
           
O Sr. Roberto Domit, com sua iniciativa de restaurar a casa de seus avós e transformá-la em um espaço de memória teve uma notável iniciativa, que serve de exemplo para nós historiadores, pois não devemos esquecer que a história está ao nosso redor, e que em cada um de nós tem papel fundamental, na preservação ou esquecimento de nosso patrimônio histórico cultural.
 
 
* Luis Carlos Colita é aluno da Pós Graduação em História da FAFIUV. Durante o módulo Patrimônio Cultural e Educação Patrimonial, ministrado pela professora Ms. Leni Trentim Gaspari, os alunos visitaram no dia 27 de agosto o Casarão Domit em Irineópolis, de propriedade do senhor Dr. Roberto Domit de Oliveira. O objetivo da atividade foi proporcionar aos professores cursistas uma reflexão sobre a possibilidade de se trabalhar com bens culturais e patrimônio histórico local/regional no processo ensino-aprendizagem de História, com finalidade de estimular o senso de preservação da memória social coletiva. A saída a campo para estudo in loco num espaço de memória possibilita aos cursistas oportunidades de perceber a materialidade concreta da preservação de um espaço com objetos de época e ainda perceber a memória como composição que visa dar sentido a experiências pessoais, passadas e presentes.

 

Assessoria de Comunicação
Coordenadora: Ana Paula Such
Acadêmica: Wannessa Stenzel

 

 

Praça Coronel Amazonas, S/N - Centro Cx. P. 291 - CEP: 84600-000 - União da Vitória - PR - Fone/Fax: (42) 3521-9100